Entenda como a Pepsico deu os primeiros passos para ter uma frota elétrica e entrou na pauta ESG

Entenda como a Pepsico deu os primeiros passos para ter uma frota elétrica e entrou na pauta ESG

share on facebookshare on likedin
11/04/2022

Com o preço elevado do combustível e a pauta da sustentabilidade avançando, diversas empresas consideram a adoção de veículos elétricos como a solução para a sua logística.

A decisão pelo modelo ideal de veículo elétrico de acordo com a operação depende de uma série de fatores, sendo a capacidade e tempo de recarga, um dos pontos que mais gera dúvida nas empresas. Neste conteúdo abordamos o case da Pepsico, para inspirar as empresas na compra de carros, caminhões, VUCs e veículos elétricos em geral.

Tudo começa com a definição do modelo de veículo adequado

O primeiro passo é, sem dúvidas, escolher o modelo e fabricante de veículo que mais se adequa à operação logística. Muito além da capacidade de carga e o consumo, é importante levar em consideração na hora da compra:

- Autonomia do veículo: quantos quilômetros ele percorre antes de ter que ser recarregado;

- Tempo de recarga total: a duração máxima da recarga do veículo;

- Vida útil da bateria: quanto tempo a bateria dura até ter que ser substituída;

A especificação do carregador certo para cada operação

A potência do carregador determina o tempo da recarga total. Sua duração pode variar de lenta a ultrarrápida, a depender da otimização do tempo disponível em que o veículo fica parado para recarregar. Vale ressaltar que é necessário a combinação da potência do carregador com a capacidade do veículo, por isso fique atento na hora de adquiri-lo. Entramos mais a fundo nos tipos de carregadores neste conteúdo: Quais são os tipos mais populares de carregador para carro elétrico?

Gestão da recarga e operação

Segundo Joseph Moses Juran, famoso consultor de negócios e gestão da qualidade: “Quem não mede não gerencia. Quem não gerencia não melhora”. Somente através do gerenciamento é possível conhecer detalhes do consumo da operação, e se ela é sustentável financeiramente.

Este é o tema central da Voltbras e preparamos este conteúdo, que cita as razões para a realização da gestão de recarga em frotas. Já neste material, citamos tudo que é possível de se descobrir ao monitorar as recargas.

O Case Pepsico

Este case é muito interessante, pois a Pepsico adotou dois modelos de veículos para sua logística. O primeiro deles é para a linha de pesados, no qual a empresa optou por veículos movidos a GNV. Os modelos, G 340 4x2 e R 410 6x2, foram adquiridos pelas transportadoras RN Express e Jomed Log, e atenderão às demandas de abastecimento para todo território nacional. Quando falamos do segmento pesado, a bateria dos veículos reduziria significativamente o peso líquido de carga, por isso a alternativa do gás natural faz todo sentido.

Para o segmento delivery, VUC, a empresa optou por modelos JAC iEV1200T, movidos totalmente a eletricidade, com PBT de 7,5 toneladas e autonomia para rodar cerca de 200 quilômetros com as baterias completamente carregadas. Esta autonomia é mais do que suficiente para realizar entregas em nível diário. Durante a noite, os veículos são carregados em eletropostos de 7,4kW de potência, o que garante 100% de bateria para o dia seguinte.

“A Pepsico tem o compromisso e a responsabilidade de contribuir para mitigar as emissões de gases do efeito estufa em toda a sua cadeia logística, aliando a entrega de nossos produtos aos pontos de venda à proteção do planeta, diminuindo impactos ambientais negativos”, afirma Eduardo Sacchi, diretor sênior de Supply Chain da PepsiCo Brasil em entrevista para o site da empresa, “Iniciativas como essa nos permitem ser mais carbono eficientes, sendo fundamentais rumo à nossa meta global de diminuir a emissão de gases de efeito estufa em 40% até 2030. Tenho orgulho em afirmar que estamos no caminho certo”, completa o executivo.

Veículos elétricos são a porta de entrada para as pautas sustentáveis

Portanto, é evidente que os resultados são promissores. Os veículos elétricos são a solução para as empresas de logísticas adentrarem na pauta ESG e da descarbonização. Os principais benefícios são bem conhecidos: não emitem poluentes, performam melhor em rotas urbanas, são mais eficientes, consomem uma fonte de energia renovável e mais barata, dentre outros. Com a escolha dos equipamentos e tecnologia certos, sua operação com frotas elétricas vai gerar negócios e proporcionar uma boa reputação da sua marca.

Ficou interessado?

Tire dúvidas e realize cotações pelo formulário abaixo, ou nos envie um email.

Assunto