Como funciona a operação e manutenção dos carregadores de carros elétricos

share on facebookshare on likedin
03/06/2021

O cenário da mobilidade elétrica no Brasil compreende grandes desafios, dentre eles, certamente está o de dar suporte à verdadeira explosão estimada no número de veículos elétricos, conforme defende o estudo da BCG, que prevê cerca de 2 milhões de veículos elétricos no país até 2030.

A operação e manutenção dos equipamentos está inserida num contexto maior, que pode ser explicado voltando um pouco para o tema dos agentes da mobilidade elétrica.

Com o crescimento do mercado da eletromobilidade no Brasil, torna-se cada vez mais comum encontrar agentes especializados. Onde antes se encontraria uma empresa fornecendo equipamentos e os deixando à mercê, ou tentando executar um serviço de operação precário, hoje já existem empresas que são apenas provedoras dos eletropostos, outras que são focadas em instalar, manter e operar os pontos.

Empresas que operam e fornecem a manutenção das redes de recarga, por sua vez, devem consumir uma tecnologia específica para viabilizar este serviço de forma remota e em tempo real através de um terceiro agente. Forma-se, assim, uma cadeia de fornecimento do serviço de recarga.

Para viabilizar a circulação dos carros elétricos previstos, é necessária uma expansão considerável na malha de carregadores disponíveis ao público. Junto disso, é seguro dizer que não basta apenas oferecer um eletroposto para a recarga do veículo, mas sim garantir alguns fatores chave para uma boa experiência de recarga.

A boa experiência de recarga é fundamental

A boa experiência de uso dos eletropostos demonstra ser indispensável, afinal, é um fato conhecido o de que, até pouco tempo, os proprietários de carros elétricos encontravam pouquíssimas opções de recarga em pontos públicos (o cenário tem mudado com as novas eletrovias gerenciadas em operação) e tinham ainda menos informações sobre o seu funcionamento.

É comum encontrar revisões negativas de eletropostos comunicando que o usuário chegou até o ponto de recarga e o encontrou sem funcionar, o que gera frustração para o usuário e a perda de oportunidades de negócio para o dono dos carregadores.

Considerando, ainda, outras peculiaridades experimentadas pelos motoristas de carros elétricos, como a range anxiety (ansiedade ou insegurança sobre ficar sem bateria para poder seguir o trajeto, um receio que, na maior parte das vezes, se instala após pouco tempo utilizando o veículo, como explica este report da Volvo USA) e a eventual necessidade de passar certo tempo na recarga, visto que sua duração pode variar entre minutos e horas, entende-se que, para um ótimo serviço de recarga ser possível para o usuário, alguns fatores precisam ser observados. Tais fatores, de forma breve, podem ser resumidos em 5:

1. Características do eletroposto: bem como com qualquer outro veículo, antes de ir a um ponto de abastecimento, o cliente precisa saber se encontrará o combustível adequado. Quando tal ‘combustível’ é energia elétrica, não é diferente, é preciso ter a informação sobre os conectores disponíveis, para entender se é compatível com o carro elétrico. Além disso, é importante informar a potência do carregador, para que o motorista consiga prever o tempo que passará carregando.

2. Carregador em bom estado: outra necessidade a ser observada no momento de uma recarga é a condição na qual vai estar o eletroposto quando o usuário chegar até ele. É importante garantir que não esteja quebrado, desabrigado em caso de chuva, ou escuro para recargas noturnas.

3. Disponibilidade do eletroposto: para que o usuário se desloque até o ponto de recarga com a segurança esperada do serviço, é indispensável que saiba se existe outra pessoa fazendo uso do carregador, se ele está com algum problema técnico impedindo a recarga, ou se está em pleno funcionamento e pronto para receber o motorista.

4. Condição do eletroposto: é comum que o usuário chegue até o eletroposto e o encontre fora de operação, com alguma falha ocorrendo, ou mesmo com um simples botão de emergência pressionado e impedindo a recarga.

5. Sinal do eletroposto: para que o serviço de recarga possa ser feito de forma totalmente digital, com desbloqueio e acompanhamento da recarga por aplicativo, e para que todas as informações de disponibilidade de uso e fornecimento estejam ao alcance do usuário, o eletroposto precisa estar conectado à internet de forma contínua, caso contrário, a sua operação, tanto para o motorista quanto para o operador, se torna inviável.

Ferramentas para viabilizar a operação e manutenção dos eletropostos em tempo real

Os pontos listados acima demandam atenção em uma rede e são, também, motivos pelos quais a operação e manutenção dos eletropostos é indispensável. Cada um dos tópicos, se inobservado, pode gerar uma experiência de recarga ruim para o usuário e, consequentemente, uma perda para o gestor daquela rede ou eletroposto, em credibilidade e clientela.

Sendo assim, o serviço de operação e manutenção costuma contar com empresas especializadas em garantir que a rede esteja em perfeito funcionamento. Dentre suas funções estão a de observar os eletropostos constantemente, atuando sobre eventuais falhas ocorridas nos equipamentos, fazer operações de manutenção preventiva e corretiva no eletroposto, manter o ponto de recarga atrativo e seguro para os clientes e prestar assistência em casos de maior necessidade, como na ocorrência de um carro elétrico ficar ‘preso’ ao cabo de recarga, que se recusa e desconectar.

Para que a operação e manutenção seja assertiva e eficiente, é extremamente importante contar com uma tecnologia que se comunique com os eletropostos, caso contrário será necessário deslocar um time para acompanhamento constante no local do eletroposto, sob pena de ter um equipamento sem funcionar e não agir sobre isso.

Além da indiscutível eficiência que se ganha ao observar remotamente os pontos de recarga, uma Plataforma de Gestão avançada pode fornecer insights muito relevantes para a operação. Em qualquer falha que ocorra, o time de operação terá em mãos um retrato detalhado do que ocorre em cada um dos conectores de cada eletroposto.

Cadeia de valor mobilidade elétrica

Exemplo de uma página de monitoramento em tempo real de uma rede de recargas na plataforma Voltbras.

Um caso corriqueiro é o pressionamento do botão de emergência do equipamento. Muitos usuários o fazem sem querer, ou até mesmo para finalizar a recarga em andamento, fazendo com que o carregador fique sem funcionar para outros motoristas.

Caso isto ocorra, uma equipe de operação com uma boa Plataforma de Gestão em mãos, verá, no mesmo momento em seu computador, um eletroposto com indicação de falha e saberá qual o motivo da falha, o horário em que ocorreu, dentre outros. Percebe-se, logo, que esta é uma forma muito mais efetiva de atuar sobre as ocorrências do que ter que deslocar até o eletroposto para observar se está tudo certo.

A rotina de quem executa este serviço, portanto, passa a ser focada na observação da plataforma que se comunica com todos os eletropostos pelos quais é responsável. Ali serão relatados todos os problemas que acontecem, alguns deles poderão ser resolvidos com alguns cliques na plataforma, outros irão demandar uma equipe técnica no local. De qualquer forma, garante-se que o time de suporte se desloque apenas quando houver uma real necessidade, por consequência, tem-se uma operação mais rápida e assertiva.

Crescimento esperado

A área de operação e manutenção tende a ganhar cada vez mais força com a inevitável expansão do mercado e o crescimento no número de veículos elétricos e eletropostos disponíveis.

Considerando que devem ser instalados números recordes de eletropostos é seguro apontar que, muito em breve, com a maior oferta de pontos de recarga, a experiência de uso será o grande diferencial entre uma rede frequentada e lucrativa e uma que não prospera.

Enquanto hoje os motoristas de carros elétricos não têm uma gama muito ampla de opções e podem acabar sendo obrigados a frequentar eletropostos que não lhes fornecem informações ou segurança na recarga, em pouco tempo encontrarão diversos eletropostos à sua disposição, então o serviço, as informações e a confiabilidade do serviço de recarga ofertado será um atrativo ou repelente de clientes.

A peça chave para um serviço de recarga de qualidade, é, em boa parte, relacionada aos cinco pontos previamente mencionados. Pelo menos quatro deles (2,3, 4 e 5) são resolvidos com um serviço de manutenção e operação para os pontos de recarga.

Um serviço de operação e manutenção eficiente é sinônimo de segurança para o cliente final. Assim, afirma-se seguramente que trata-se de um serviço muito estratégico para as redes de eletropostos e que, com o aquecimento do mercado, deve ser ainda mais valorizado e procurado.

Na perspectiva da rede de eletropostos, por sua vez, é muito interessante contar com um serviço focado apenas na parte de operação, visto que este demanda de estrutura, tecnologia e funcionários de perfil técnico e especializados e que, tendo um fornecedor para tal demanda, a rede tem liberdade para focar nos negócios, segura de que seu cliente sempre será bem atendido e voltará a consumir daquele serviço, ao invés de encontrar eletropostos inoperantes ou em mau estado.

Para somar à importância de uma experiência de recarga positiva, é preciso entender que o proprietário de um carro elétrico faz um investimento considerável para poder adquirir e circular com seu veículo e normalmente constitui um perfil de consumidor apreciador de tecnologia, inovação e também crítico. Sendo assim, espera encontrar nos pontos de recarga uma experiência satisfatória e convidativa, condizente com a que encontra no seu veículo e com o valor investido.

Texto por Ana Luíza Berti, Diretora Comercial na Voltbras.

Ficou interessado?

Tire dúvidas e realize cotações pelo formulário abaixo, ou nos envie um email.

Assunto