5 formas de pagamento para cobrança de recarga de veículos elétricos em eletropostos

5 formas de pagamento para cobrança de recarga de veículos elétricos em eletropostos

share on facebookshare on likedin
06/05/2022

Se existe a fórmula ideal de operação dos eletropostos, é através do autosserviço. Fazemos esta afirmação pois é o modelo que concede maior autonomia ao cliente: basta conectar no carregador, desbloquear, utilizar e pagar pela recarga via smartphone. Com o início da monetização das recargas, surgem diferentes meios de pagamento, os quais apresentaremos a seguir:

1 Pagamento por cartão de crédito

Esta é a forma de pagamento mais difundida e simples que o usuário dispõe para pagar pela recarga. Em resumo, o valor a ser pago é debitado do cartão de crédito pré-cadastrado no aplicativo desenvolvido pela Voltbras, que para evitar fraudes, faz uma pré autorização nos cartões, a fim de verificar a sua validade e se o cliente tem saldo.

Assim que o valor devido for capturado, a pré autorização é liberada para o cliente novamente, prática bem similar ao que ocorre no processo de locação de veículos, uma vez que o valor da franquia do seguro do veículo é bloqueado no cartão e liberado assim que o carro é devolvido.

Vantagens e desvantagens

A principal vantagem é o pagamento simplificado, não há necessidade de compra antecipada de crédito nem surpresas no final do período. As desvantagens, porém, são a baixa fidelização e o prazo de recebimento dos valores de 30 dias, período padrão dos cartões de crédito.

2 Pré-pago

O pagamento no modelo pré-pago é simples: o cliente compra créditos para as recargas através de boleto, PIX ou cartão de crédito. Uma vez efetuada a compra, o saldo é consumido à medida que seu carro é recarregado.

Vantagens e desvantagens

Uma grande vantagem para os gestores da rede é a antecipação de fluxo de caixa, pois o cliente paga de forma antecipada pela recarga. É possível realizar promoções como cashback e descontos em compras de maior valor. Porém, este modelo guarda uma surpresa: muitos motoristas não têm noção da demanda que terão de recarga ao longo dos próximos dias, o que pode deixar os clientes sem o saldo necessário para concluir uma recarga emergencial, por exemplo.

3 Pós-pago

A implementação do pós-pago é fácil: ao final do mês, o cliente receberá uma fatura e a listagem das recargas com os respectivos valores. Este é o modelo preferido do cliente B2B, uma vez que, no cenário das frotas, seus veículos seriam recarregados ao longo do mês, através de seus colaboradores, e no final, a empresa pagaria o custo em uma única fatura. É o mais utilizado em condomínios também, por um método pós pago conhecido popularmente como rateio da energia, porém sem margens de ganhos.

Vantagens e desvantagens

A principal vantagem deste modelo é para gestores que atendem o B2B, pois podem cobrar as recargas através de fatura única. A cobrança ocorre por meio de boleto, PIX, transferência bancária, dentre outros. O lado negativo é a possibilidade de inadimplência que pode ocorrer por parte dos clientes.

4 Voucher

Chamado também de cupom, ticket ou vale, consiste em crédito que pode ser adquirido, presenteado ou dado como benefício da empresa para os seus clientes utilizarem nas recargas. Este modelo é bem similar ao pré-pago, a grande diferença está no usuário precisar ativar o crédito no aplicativo.

Vantagens e desvantagens

O voucher é muito versátil e há diversas aplicações para as redes de recarga. O interessante é que possibilita a compra em dinheiro no balcão de lojas conveniadas das redes. A desvantagem deste método é o cliente ter que comprar o crédito e depois incluí-lo no aplicativo, o que pode gerar algum desconforto.

5 Membership

Uma analogia para o membership é o clube de assinatura, onde o cliente se cadastra, paga um valor fixo ou com descontos e tem uma série de benefícios e pacote de recarga a ser utilizado na rede de recarga. É um modelo que funciona muito bem em parceria com montadoras ou grupos de clientes especiais.

Vantagens e desvantagens

O maior benefício deste modelo é a fidelização do cliente, pois concede benefícios e pacotes de recargas. O ponto de atenção aqui é a necessidade de uma boa organização e estruturação financeira da rede de recarga para evitar o prejuízo.

É possível pagar recarga com o cartão RFID?

Sim, desde que o cliente tenha saldo ou cartão de crédito pré cadastrado no aplicativo! Isto é, ao usuário optar por desbloquear o eletroposto com seu cartão físico, o equipamento consulta a base de dados Voltbras e libera a recarga. Desta forma, o valor é cobrado do meio de pagamento ativo pelo usuário no aplicativo, onde é possível depois acompanhar os dados da recarga.

Observação: Não confunda o cartão RFID com o de crédito! RFID é uma tecnologia de identificação por radiofrequência, que autentica o usuário mediante um cartão cadastrado. O cartão RFID deve ser fornecido pelas redes de recarga e associado a usuários únicos para suas respectivas identificações.

Sua operação vai apontar o melhor meio de pagamento

Como esperado, não há um método melhor ou pior que o outro. Tudo depende da sua operação, quem são seus clientes e do posicionamento estratégico da sua rede de recarga. Para os novos entrantes no mercado, nós recomendamos o método por cartão de crédito, pois é o com operacional mais simples de ser implementado, pois atualmente a maioria da população comercialmente ativa o possui. Na sequência, sua rede pode optar por pós-pago, pré-pago e até mesmo criar um membership se souber estabelecer parcerias estratégicas.

Independente do meio de pagamento, a Voltbras é parceira para colocar de pé sua estratégia na mobilidade elétrica e encontrar a solução tecnológica mais adequada à sua operação!

Ficou interessado?

Tire dúvidas e realize cotações pelo formulário abaixo, ou nos envie um email.

Assunto