4 passos para recargas inteligentes de carros elétricos em condomínios

share on facebookshare on likedin
23/06/2021

O tema das recargas para carros elétricos em condomínios é recorrente no universo da mobilidade elétrica. Além de muitos condôminos terem curiosidade sobre seu funcionamento por desejarem ter um carro elétrico, o tema também atrai empreendedores que buscam oportunidades de negócio no mercado, pois cerca de 90% das recargas de carros elétricos tendem a acontecer em casa, o que gera uma grande demanda por instalação e operação de eletropostos residenciais.

Somada a esta demanda esperada, tem-se o fato de que o Brasil, em 2010, tinha aproximadamente 440 mil condomínios (de acordo com o Censo daquele ano), fazendo das recargas em condomínios um grande mercado com muito potencial a ser explorado.

Já tratamos sobre a recarga de carros elétricos em condomínios anteriormente, explicando porque é uma boa opção.

Com o crescimento acelerado do número de carros elétricos nas ruas e alguns incentivos legais para a recarga de elétricos em condomínios, ainda que tímidos e muito centrados na cidade de São Paulo, a demanda por sistemas de recarga nestes edifícios aumentou muito.

Considerando o contexto geral de crescimento da demanda por recargas em condomínios, levantam-se alguns pontos fundamentais para se garantir uma boa operação de carregadores nestes ambientes.

1 - Escolha do carregador ideal

O primeiro passo compreende a escolha do equipamento de recarga. Nesta etapa é importante contar com uma empresa especializada na instalação de eletropostos que possa apresentar um projeto elétrico adequado e concordante com a estrutura presente no edifício.

Outro ponto relevante é a indicação do eletroposto ideal, que respeite as necessidades de uso dos moradores e a infraestrutura disponível para a instalação. Se o objetivo dos condôminos for realizar recargas durante a noite, certamente equipamentos do tipo home chargers ou residenciais - de menor potência e mais lentos - poderão ser os ideais.

Se, por outro lado, o objetivo for a realização de recargas em condomínios comerciais, nos quais os usuários deixam o veículo estacionado por algumas horas, pode ser que um carregador do tipo urbano ou público seja mais adequado.

Dentro da busca pelo equipamento de recarga ideal, existe um ponto que por vezes é negligenciado e causa problemas: a necessidade de um carregador que suporte um sistema de gestão. Para isso, é indispensável que se pense num equipamento de recarga com o protocolo de comunicação OCPP - Open Charge Point Protocol.

A relevância da gestão está justamente no fato de que somente por meio dela será possível compreender com exatidão qual foi a energia gasta por cada morador e, portanto, qual o valor a ser pago, por condômino, para custear o consumo de energia dos carregadores.

Mais um detalhe a ser levado em consideração é que, com o crescimento da demanda por recargas no condomínio, apenas um sistema de gestão escalável poderá dar suporte, pois estará preparado para atender qualquer número de usuários e para gerenciar qualquer volume de recargas feitas, enquanto soluções paliativas (ou sem sistema de gestão) tendem a trazer problemas quando ocorre tal aumento de demanda.

Um sistema de gestão eficiente conectado aos carregadores também permite que o condomínio desfrute de um serviço de operação e manutenção remoto dos equipamentos, prestado por uma empresa especializada e que consiste no monitoramento constante dos equipamentos de recarga, de forma a antever problemas que impossibilitem ou atrapalhem o uso e a garantir a maior taxa de disponibilidade para o condomínio.

Para o morador, a gestão garante as informações necessárias para desfrutar de um serviço de recarga com muita qualidade, enquanto para uma empresa que presta serviço para condomínios, a gestão dos eletropostos garante a segurança necessária para se ter carregadores sempre operantes e em bom estado no condomínio, sem causar dor de cabeça para o síndico ou para os condôminos.

2 - Instalação do carregador

Após a escolha cuidadosa do equipamento ideal para os objetivos e condições do condomínio, observando o importante detalhe do gerenciamento, segue-se para a etapa de instalação do eletroposto.

Aqui também é necessário ter um prestador de serviço de confiança, e, usualmente, pode se encontrar na mesma empresa o serviço de indicação do eletroposto mais adequado, instalação do equipamento e operação dele em campo.

Feita a instalação do eletropostos, passa-se para a ativação da Plataforma de Gestão no equipamento e, em seguida, para operação do eletroposto no condomínio.

3 - Ativação da Plataforma de Gestão no carregador

Para ter acesso a todas as funcionalidades necessárias para um uso tranquilo e compartilhado de eletropostos em condomínios, principalmente a gestão de uso entre os condôminos, faz-se necessária a ativação da Plataforma de Gestão no equipamento escolhido.

Com um eletroposto equipado com a tecnologia OCPP, o processo de ativação é simples e rápido.

Na ativação será feita a conexão do carregador com a Plataforma de Gestão, através do protocolo de comunicação OCPP. O processo todo dura em torno de uma hora e não tem custo. É feito com o suporte remoto da equipe Voltbras durante todos os passos.

Por ser um processo sem complexidade, bastará ter alguém no local do eletroposto e, com a orientação da equipe Voltbras, em cerca de uma hora o equipamento estará se comunicando com a Plataforma de Gestão e pronto para operar no condomínio. Um manual de ativação é enviado para o responsável no condomínio antes da data marcada para a ativação, assim, busca-se tirar o máximo de dúvidas antes de proceder à ativação propriamente dita.

Com todo o apoio e suporte do time técnico da Voltbras, a ativação tende a ser um processo rápido e eficiente e, a partir da ativação, todas as funcionalidades da Plataforma de Gestão estarão disponíveis para operação.

4 - Operação e Manutenção do carregador

Nesta etapa entram em cena outras partes importantes do serviço, como a individualização do consumo por condômino, a disponibilização de informações sobre o processo de recarga em tempo real, a observação da disponibilidade do carregador também em tempo real (assim o condômino vai até o eletroposto somente quando está efetivamente disponível), a captação dos dados de operação do eletroposto (como taxa de uso, horários de maior procura pelos condôminos, quantidade de energia gasta em recargas e o valor desta energia em reais), a possibilidade de realizar reserva de horários para recarga pelos usuários e o detalhamento da energia gasta por cada usuário.

A gestão e individualização do uso do carregador por usuário é feita a partir do cadastro e utilização do App Voltbras para iniciar as recargas. Trata-se, também, de um passo muito simples. Basta que o condômino faça o download do App e preencha um cadastro simples. Com o App em mãos, terá acesso a todos os dados mencionados anteriormente, além de poder desbloquear o eletroposto e iniciar recargas quando quiser.

O condômino tem, ainda, a facilidade de utilizar o mesmo App para fazer recargas dentro e fora de casa, visto que a Voltbras gerencia outros eletropostos espalhados pelo país. Desta forma, o usuário pode visualizar seu histórico de recargas tanto no condomínio quanto fora dele e ter todas as informações sobre as cargas feitas.

O App Voltbras faz a autenticação dos usuários e envia, em tempo real, os dados que estão sendo coletados daquela recarga, permitindo uma gestão eficiente do uso dos eletropostos.

Os dados coletados são dispostos na Plataforma de Gestão de forma intuitiva e, com os dados em mãos, acontece a parte mais relevante da gestão de uso de eletropostos em condomínios, que é a cobrança individualizada.

Atualmente a cobrança é realizada principalmente de duas formas: o próprio síndico ou administradora tem acesso à Plataforma de Gestão que informa qual a energia e o valor gasto por cada condômino, então insere tal valor na cobrança do condomínio ou realiza uma cobrança independente; no outro caso, o prestador do serviço de recargas no condomínio fica responsável por fornecer relatórios mensais de consumo para que se realize a cobrança.

No último caso, quando um prestador de serviço é o encarregado pela cobrança, é usual que sejam incluídos valores referentes ao próprio serviço de operação que ele presta, dado que se trata de um serviço acessório ao de recargas, fundamental para manter a tranquilidade dos usuários quanto a uma prática tão nova quanto a de realizar recargas em veículos elétricos dentro do condomínio.

A Voltbras entrega os dados e funcionalidades para parceiros que atuam na operação direta com os condomínios, assim, se posiciona como um provedor de tecnologia para viabilizar toda a experiência de recarga em condomínios para empresas especializadas no ramo.

Desempenha, portanto, um papel importante no serviço de recarga em condomínios, mas não o faz sozinha, visto que conta com parceiros para executar as demais atividades necessárias para um serviço completo, conforme exposto nas etapas anteriores.

Cidade de São Paulo: a primeira do Brasil a enxergar o potencial

A cidade de São Paulo assume a frente neste movimento. Percebeu-se um aumento na procura por infraestrutura de recarga em condomínios após a promulgação da Lei 17.336/2020, cujo texto prevê a obrigatoriedade da previsão de sistema de recarga para carros elétricos em condomínios residenciais e comerciais da cidade, com destaque para a necessidade de medição individualizada e cobrança da energia consumida.

Esta última exigência dá ainda mais força ao movimento de não apenas buscar uma forma de recarregar o carro elétrico, mas sim uma maneira inteligente de fazê-lo, com gestão de consumo e informação aos usuários sobre o processo de recarga.

Tal movimento já vinha acontecendo porque os usuários da solução de recargas percebem o valor agregado numa solução de gestão eficiente que divide o gasto de energia entre os moradores (permitindo que o uso do carregador seja compartilhado e possibilitando que os gastos de implementação da tecnologia sejam também divididos entre os usuários, ao invés de apenas um morador adquirir e arcar com toda a solução) e lhes fornece a opção de reservar um horário para recarga, ou então a informação necessária para ir até o carregador somente quando este estiver disponível, bem como o acompanhamento de todo o processo de recargas de onde estiver, tudo pelo celular.

Outra iniciativa que deve garantir à São Paulo a vanguarda da evolução na mobilidade elétrica é a recente lei 17.563, que permite transformar em crédito de IPTU parte dos valores pagos a título de IPVA de veículos elétricos.

Em São Paulo, portanto, a demanda por carregadores em condomínios cresce rapidamente, abrindo espaço para empresas que desejam atuar nesta frente. Em outras regiões do Brasil esta tendência também tem se fortalecido - notadamente no Sul, Sudeste e Centro-Oeste -, seguindo o exemplo da capital paulista.

Se quiser saber mais sobre a recarga de carros elétricos em condomínios, entre em contato. A Voltbras pode conectar as oportunidades aos parceiros certos para desenvolvê-las.

Texto por Ana Luíza Berti, Diretora Comercial na Voltbras.

Ficou interessado?

Tire dúvidas e realize cotações pelo formulário abaixo, ou nos envie um email.

Assunto